Uma despedida

Queria agradecê-lo por ter me levado até onde eu precisava ir, mesmo quando o caminho era cheio de pedras, longo, escuro…

Confesso que, quando ele chegou, estranhei um pouco. Pensei “ele não é normal”, mas devia respeitar a escolha do destino. Passado o primeiro ano de convivência, fizemos grande progresso. Trabalhávamos duro todo dia, saindo bem cedo, ainda sem a bênção do sol, e chegando exaustos – mais eu do que ele – quando toda a família já estava recolhida. Aquela estranheza foi diminuindo, na mão contrária à qual vinha um reconhecimento por minha parte.

Agradeço por ter se mantido sempre em sua melhor forma para assegurar minha integridade… precisei muito mais dele do que ele de mim.

Comecei a perceber que ele era normal, e que estranha era a maneira como eu o percebia. Ali dentro havia uma força incansável, um gigante admirável.

Desbravando as noites nos fins de semana, tomamos conhecimento de nossas trilhas, cada buraco no caminho, cada árvore e poste que beiravam as avenidas. As noites de chuva eram as preferidas. Aprendemos a gostar dos desafios.

De qualquer maneira, sempre procurei oferecer o melhor que podia. Não o esquecia nas ocasiões especiais. Me acompanhava nas festas também. Procurava apresentar-nos de acordo com a ocasião.

Raras vezes nos exigimos muito. Sabíamos quando era hora de dar um tempo ao outro.

Agora chega uma nova época, e devemos separar os caminhos. O destino vai apontar novas direções para nós dois, mas ele terá força para fazer sua própria vida, em uma nova família.

Vai deixar uma saudade imensa.


Uma resposta para Uma despedida

  1. Paulo Di Cellio disse:

    Muito Boa esta declaração….
    Novos caminhos para os dois.. Caminhos de sucesso.
    Agora se inicia uma nova era . a Era do KA.
    Mas sempre o Celta estará na sua lembrança , porque ele foi o 1º. Quem sabe um dia vc não busque ele. Não mas para trabalhar , mas para ficar de exposição com o 1º Carro.
    O Celta te acompanhou em uma fase muito importante da sua vida, a fase que vc deixou de ser o garoto Fulvio e passou a ser o Homem Fulvio. A transição do estudante para o profissional , do filho para um homem de família . (aqui poderia por Pai de família, mas isto é para o futuro.).

    Grande Abraço.
    Paulo Di Cellio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: