Clima pesado

Quase todas as emissoras de TV, jornais e revistas já trataram do assunto. Quase todos os produtos à venda têm uma versão sem carbono, sem sal, sem açúcar, sem gordura, sem amianto, sem agrotóxico, sem aspartame, biodegradável ou algo que o valha. Os automóveis já têm suas versões econômicas, seja pelo tamanho menor ou pelo motor movido a eletricidade, biocombustível, energia solar… eletrodomésticos têm funções “modo ecológico” ou selos se sustentabilidade. Empresas privadas estão recolhendo pilhas, baterias, papel, plástico, tudo para reciclagem, plantando árvores.

Assistindo a uma matéria do Fantástico sobre uma visita ao continente Africano, exibida a algumas semanas atrás, uma imagem e um texto me chamaram a atenção. Aos 9m30s da reportagem: “Nas geleiras é possível ver as faixas, as camadas de gelo que se sobrepuseram ao longo do tempo.” A matéria mostra o povo local que realizava uma celebração tradicional em meio a neve no topo de uma montanha, que vem perdendo sua cobertura branca de alguns anos para cá.

Afinal, por que o alarde geral sobre as mudanças climáticas? Essa é a natureza. O gelo demorou a se formar e as camadas da imagem só comprovam isso: antes não havia gelo, e era normal também.

É natural que mudanças aconteçam. Ouço com freqüência que o inverno está ficando quente e o verão está ficando frio, que “o tempo [leia-se clima] está maluco”, e que isso é culpa do aquecimetno global.

Quem nunca um dia saiu vestindo bermuda e camiseta de casa ou um vestido leve, e voltou passando frio, porque o clima havia mudado? O clima muda em um dia. A humanidade criou a divisão de estações do ano para controlar as informações sobre o clima. O clima muda em um ano. Por que não pode haver uma mudança de temperatura a longo prazo? Porque não pode haver um ciclo de décadas, séculos ou milênios? O Planeta e o Universo são grandes o bastante para isso.

A ciência tem uma quantidade enorme de dados em mãos. Há quem aposte que a ação do homem é que causa esse transtorno climático, há quem acredite que tudo não passa de fenômenos naturais. Ninguém consegue dar garantia de nada.

Observando o debate da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) em 2010, vemos que a maioria ainda não aceita a hipótese proposta pelo geógrafo Ricardo Felício do aquecimento não ser provocado pela humanidade, e sim pela “naturalidade”.

Existe aí uma teoria embutida, a do ecoimperialismo. Os países ricos desenvolvem tecnologias verdes, anunciam o apocalipse climático e vendem a ecologia a preços altos, lucrando muito com a exploração dos ingênuos. Dentro dessa teoria, os cientistas favoráveis ao movimento de dominação seriam marionetes ou funcionários corruptos, prontos a corroborar com a implantação de novas medidas de produção e legislação, que deixariam os países de poucos recursos na mão dos laboratórios de primeiro mundo.

Não é de se duvidar, afinal, os Estados Unidos produzem a maior parte das tecnologias e emitem uma das maiores quantidades de carbono na atmosfera, e se recusaram a assinar um tratado global para reduzir emissão de poluentes. Quem deveria ser um exemplo, não acredita na idéia do aquecimento, e pretende vender a mesma idéia.

Acho válido que cientistas e engenheiros busquem alternativas que economizem energia e que empresas passem a desenvolver um papel mais social auxiliando cooperativas de reciclagem e incentivando a preservação. Viver com menos poluição não deve ter contra-indicações… mas causar pânico parece desnecessário.


Uma resposta para Clima pesado

  1. Erica disse:

    Assim como todos os veículos de comunicação, a Mídia tem grande poder na formação de opiniões.
    O exagero e o apelo ao sensacionalismo causa panico e é capaz de mudar de forma radical o pensar e agir das pessoas.

    O aquecimento global esta acontecendo, talvez não com tanta intensidade, ou de uma forma tão dramática com esta sendo exporta.
    Quando falamos de desastres naturais como tufão, furações, entre outros desastres temos que ter um certo cuidado quando relacionado ao aquecimento.
    De fato tem países que são mais propiciosos a ter esses tipos de desastres naturais dependendo da posição geográfica, rompimento de placa tectônica, entre outros fatores.
    O aquecimento esta ocorrendo mais este não é um fato recente as geleiras não derretem do dia para noite, muito pelo contrário isso leva anos, a elevação nos nives dos mares também é um fenômeno que já vinha ocorrendo, o que esta acontecendo é um aceleramento no processo.
    Se a mídia esta utilizando desse argumento para apelar seu lado humano realmente não tenho certeza!
    Preciso pesquisar sobre isso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: